Guardando as aparências

Segunda-feira última, em uma solenidade relativa a colocação nos trilhos da rede ferroviária local, de uma moderno VLT, duas situações políticas se revelaram sobre a sucessão estadual.

A primeira decorreu, de uma declaração da senadora Regina Sousa, afirmando peremptoriamente que o companheiro de Chapa de Wellington Dias, será o deputado Themístocles Filho .

O segundo fato relevante da solenidade, foi a fala do senador Ciro Nogueira, quando questionado sobre o que dissera Regina Sousa, alijando de imediato a atual vice-governadora Margareth Coelho da sucessão estadual.

Ciro Nogueira, com os poderes à nível federal que detêm nos dias que correm, declarou apenas que confia na condução do processo de formação de alianças postas em prática pelo Governador Wellington Dias.

Está mais do que claro, que inexistem condições políticas para Ciro Nogueira compor com Wellington Dias.

Quem conhece um pouco a história política do Piauí, sabe muito bem, que essa desfeita do MDB-PT, desalojando a vice-governadora Margarethe Coelho-  uma vice, diga-se de passagem, que não ficou no anonimato, pelo contrário, ocupou todos os espaços que o cargo lhe conferia, com uma desenvoltura notável- não ficará sem a devida resposta do grupo liderado por Ciro Nogueira no devido tempo do processo eleitoral.

Por enquanto, o que deixam transparecer, é que, entre Wellington Dias e Ciro Nogueira, reina um clima de Céu de Brigadeiro.

Pura lorota.