Após denúncia, surgem nomes de pessoas envolvidas na quadrilha que está vendendo casas do governo federal em Timon

A quadrilha vem atuando dentro dos conjuntos habitacionais em Timon

Bastou a informação ser publicada no blogdoribinha com o título; “Pipocam” novas denúncias de venda de casas do governo federal em Timon”, para que surgissem novas denúncias e até nomes de pessoas envolvidas nas práticas delituosas de comercialização das casas do Programa Minha Casa Minha Vida, em Timon.

Entre os nomes citados através dos canais interativos do titular do blog e até públicos nas redes sociais existem todo tipo de relato citando nomes de pessoas envolvidas no golpe de estelionato.

Citam por exemplo, a presença de um servidor público, um corretor de imóveis de uma cidade próxima a Timon e jovem filiado a partido político no escândalo, que pode estourar a qualquer momento e entrar para as barras da polícia.

Entre os negócios efetuados pela quadrilha, moradores dos residenciais do programa em Timon citam negócios envolvendo a venda de casas nos valores de 1 a 4 mil reais favorecendo a quadrilha.

Mas por outro lado, surgem negociações que favorecem à promiscuidade do esquema como por exemplo uma informação de que a amante de um ex-prefeito foi beneficiada com o esquema fraudulento e ganhou “de graça” uma dessas casas invadidas que são alvos das negociações da quadrilha.

Outra informação é de que parlamentares estão colocando nessas casas suas amantes numa forma de que eles se calem sobre as denúncias de compra e venda de casas do programa de forma irregular.

Após a denúncia, o secretário de Habitação Hélio Lopes também resolveu se pronunciar. Segundo ele, em texto enviado pelo whatsapp: “Ribinha, a questão de moradores vendendo casas, nós ouvimos falar, mas não é feito legalmente e é a Caixa que deve fiscalizar”, disse Hélio.

É claro que o secretário de Habitação está falando de outro assunto e não da quadrilha de estelionatários que está atuando no programa, mas seria de bom alvitre que como coordenador do programa em Timon, surgisse da Secretaria de Habitação denúncia no sentido de que a Caixa solicitasse da Polícia Federal uma investigação sobre as denúncias tanto das comercializações das casas que Hélio diz ter ouvido quanto ao ato criminoso que o blog vem denunciando.

Acesse aos comentários sobre esse assunto: Clique