Mais um maranhense conquista o país com a sua arte

O estado do Maranhão, o país inteiro sabe, sempre foi berço de grandes intelectuais, chegando a sua capital a ser chamada nacionalmente de Atenas brasileira, numa alusão à cidade grega de Atenas, berço da civilidade e da inteligência mundial. O estado do Maranhão que desde a fundação da Academia Brasileira de Letras (ABL) sempre contou com um número expressivo de intelectuais maranhenses. O último a ser admitido na casa de Machado de Assis, foi um dos mais brilhantes poetas e intelectuais brasileiros, o poeta e crítico Ferreira Gullar.

 

Nas artes em geral, o estado do Maranhão sempre se destacou, seja na pintura através do pintor e desenhista Floriano Teixeira (o maior ilustrador dos livros do escritor baiano Jorge Amado), da escultura através do escultor Celso Antônio Silveira de Menezes, da música através do cantor e compositor João do Vale e da poesia através de Nauro Machado. O estado do Maranhão que teve na figura do escritor Graça Aranha um dos idealizadores e organizadores da Semana de Arte Moderna de 1922.

 

A arte musical merece um capítulo à parte, pois esse estado nordestino sempre foi muito pródigo em matéria de artistas da arte do canto, da arte da composição e da arte instrumental. Nesse campo destaco os nomes das cantoras Dilu Melo (cantora, compositora e multi-instrumentista), Alcione (cantora e trompetista), Rita Ribeiro (cantora e compositora), Tania Maria (cantora, compositora e pianista) e a irmã Teresinha de Jesus (cantora sacra). Agora passamos aos cantores, compositores, instrumentistas e músicos eruditos. Pela ordem: João do Vale (Peba na Pimenta), Claudio Fontana (O homem de Nazaré), Nonato Buzar (Rio Antigo), Curi (Aparências), Chico Maranhão (Gabriela), Cecílio Nena (Temporal de Amor Zeca Baleiro (Lenha), Nicéas Dumond (Senzalas), Catulo da Paixão Cearense (Luar do Sertão e Raimundo Soldado (Abraçando Você). Na música erudita destaco os nomes de Turíbio Santos (violonista), João Pedro Borges (violonista), Chiquinho França (multi-instrumentista) e a pianista jazzista Tania Maria.

 

Feito esse breve histórico da presença maranhense na cena cultural brasileira, vamos ao objeto deste texto - que é falar do maior fenômeno da música brasileira na atualidade, o cantor e compositor Pabllo Vittar. Pablo Vittar que com a sua arte, beleza física e uma enorme capacidade de verbalização, vem dando voz e visibilidade ao universo LGBT. Bravo!   

 

 

 

Pabllo Vittar que aparece nestas fotos "montado e desmontado", ou seja, como homem e como mulher. Um ser andrógino