Mais de 700 mamografias já foram realizadas no Ceir

Outubro é o mês de conscientização ao diagnóstico precoce do câncer de mama e quando o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) completa um ano que iniciou o exame de mamografia pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Foto: Divulgação Ascom
Foto: Divulgação Ascom

Até o momento, a instituição realizou 750 exames. Mas, para Vanessa Almeida, coordenadora do Centro de Diagnóstico do Ceir, o número poderia ser melhor. “O exame de mama é algo que deve ser feito anualmente por mulheres a partir dos 40 anos. Mas essa ainda não é uma conscientização presente em todas”, relata.

A dona de casa Maria Alves tem 60 anos de idade e fez a última mamografia há três anos. Ela foi encaminhada da secretaria de saúde de Angical, onde mora, para colocar o exame em dia. “Ainda não tenho caso de câncer de mama na família, mas é importante cuidar”, comenta.

Já Ana Silva, de 57, teve um cisto na mama direita há 15 anos, o que a leva a fazer mamografia anualmente. “O câncer de mama está matando muitas mulheres e uma prima minha teve também. Então todo ano venho para Teresina só realizar o exame”, diz Ana, que mora em São Pedro do Piauí.

O médico neurocirurgião Benjamim Pessoa Vale, presidente voluntário da Associação Reabilitar, entidade social que administra o Ceir, reforça que “o trabalho do Centro não é somente de reabilitação, mas, também, de prevenção, neste caso, com atenção à saúde da mulher e o diagnóstico precoce do câncer de mama”.

O mamógrafo do Centro de Diagnóstico do Ceir é adaptado para pessoas com deficiência. As marcações para o exame podem ser realizadas nas Unidades Básicas de Saúde, após consulta com um médico do Programa de Saúde da Família ou credenciado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).