No troca-troca de deputados na Assembleia Legislativa do Piauí poucos partidos saíram perdendo

PP sai dessa janela com a terceira maior bancada da Assembléia

O PP foi o partido que tirou maior proveito no troca-troca de deputados durante a abertura da janela de transferência de políticos com mandato para a disputa da eleição de outubro. O partido, que elegeu apenas 1 deputado em 2014 saiu do processo com uma bancada de 4 parlamentares. A legenda que mais encolheu foi o PSD do deputado federal Júlio César Lima que em 2014 elegeu uma bancada de 3 deputados e agora só conta com 1, justamente o filho deputado Georgiano Neto e o PTB, que elegeu 5 deputados em 2014 e ficou com apenas 2.

Deputado Júlio Cesar
Deputado Júlio Cesar

Na contagem final do processo, a oposição saiu desfalcada e a base do governo ganhou novos deputados, como foi o caso de Wilson Brandão e Firmino Paulo, que deixaram o PSB e PSDB, respectivamente, e ingressaram no PP, que pertence à aliança governista. Em contrapartida, o deputado Edson Ferreira, que era do PSD, partido da base, foi para o PSDB. Dois partidos – que não tinham representação na Assembléia – passaram a ter representantes na Casa, o DEM e o SD.

MDB, PSB, PSDB e PT mantiveram o mesmo número de deputados eleitos na eleição estadual passada, apesar de os três primeiros terem perdido 1 deputado cada mas, em troca, cada um ganhou um, ou seja, o que ocorreu foi apenas uma troca de peças. Por sua vez, o PTB perdeu, desde a janela das eleições de 2016, os deputados Hélio Isaías e Fernando Monteiro, e agora foi a vez de Lisiè Coelho que foi para o MDB. No MDB permanecem Themístocles Filho, Pablo Santos, Severo Neto, Santana e Madison.

O PP, que saiu da eleição só com Júlio Arcoverde, sai dessa janela com a terceira maior bancada da Assembleia. Depois de Hélio Isaías ter entrado em 2016, agora foi a vez de Wilson Brandão e Firmino Paulo. O PSD contava uma bancada com Georgiano, Edson Ferreira e Dr. Pessoa. Enquanto Ferreira foi para o PSDB, Pessoa se filiou e passou a comandar o Solidariedade (SD) no Piauí. O PR do deputado Fábio Xavier ganhou o deputado Dr. Hélio, que deixou o PTC ainda na janela de 2016.

Deputado Evaldo Gomes
Deputado Evaldo Gomes

Dois partidos – o DEM e o SD – passam a ter representantes na Assembléia com o ingresso dos deputados Robert Rios e Dr. Pessoa. Com isso, sobe para 14 o número de partidos com representação na Casa. O partido do deputado Evaldo Gomes vai para as eleições com apenas 1 deputado (ele mesmo). Depois de eleger 2 no pleito passado, perdeu o Dr. Hélio que foi para o PR. O PDT, que elegeu Flávio Nogueira e Rios em 2014, seguiu o caminho do PTC: ficou com apenas 1.

O PT elegeu três deputados em 2014 – Francisco Lima, Fábio Novo e Flora Isabel – e  manteve sua bancada. O projeto do partido é dobrar o número de parlamentares em 2018 e por isso tem assumido a posição de não fazer alianças com os partidos da base na eleição para a Assembléia Legislativa, fato que vem causando estremecimento nas relações com os aliados. Com a nova assembléia, todos os partidos estão apostando no aumento no número de suas bancadas. Resta saber se as trocas valerão a pena.

AS NOVAS BANCADAS

MDB – Themístocles, Madison, Severo, Pablo, Santana e Lisiê (saiu Juliana e entrou Lisiê) 6

PT – Fábio Novo, Flora e Lima 3

PSB – Rubem, Gustavo e Juliana (saiu Wilson Bradão entrou Juliana) 3

PDT – Flávio Nogueira (saiu Robert Rios) 1

PSD – Georgiano Neto (saíram Dr. Pessoa e Edson Ferreira) 1

PSDB – Marden, Luciano e Edson Ferreira (saiu Firmino Paulo e entrou Ferreira) 3

PRB – Pastor Gessivaldo 1

PTB – Nerinho e Janaína (saiu Lisiê Coelho) 2

DEM – Robert Rios 1

PP – Júlio Arcoverde, Hélio Isaías e agora Wilson Brandão e Firmino Paulo 4

PR – Fábio Xavier, Dr. Hélio 2

PTC – Evaldo Gomes 1

PRTB – Fernando Monteiro 1

SD – Dr. Pessoa 1