Nova arma contra o envelhecimento chega ao Brasil!

Como qualquer outro tratamento estético, não existe uma idade mínima para a aplicação do Ellansé.

A busca por uma aparência jovem motiva os especialistas em medicina estética a desenvolver novas técnicas e produtos que atendam às expectativas dos pacientes. Por isso, essa é uma área que sempre apresenta novidades que prometem tratamentos cada vez mais potentes. Uma dessas novidades que chegou ao Brasil este ano é o Ellansé, uma nova classe de preenchedores faciais desenvolvida pela empresa Sinclair Pharma e que foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária no começo de 2018. Com sua chegada às clínicas ainda neste ano, a nova arma no combate ao envelhecimento promete resultados naturais ao ajudar a pele a recuperar sua elasticidade e firmeza, com efeitos de longo prazo.

Conheça o Ellansé

O Ellansé é uma nova categoria de preenchedor facial que ainda oferece um efeito poderoso de estimulação da produção de colágeno. Ele é composto por um gel à base de água (carboximetilcelulose, já usada em muitos produtos para a pele) com microesferas de policaprolactona, um polímetro bioabsorvível que pode ser usado para suturas e implantes no corpo humano. Similar ao preenchimento tradicional com ácido hialurônico, essasmicroesferas são injetadas na pele e conferem um resultado imediato por meio do preenchimento de rugas e sulcos profundos e da redefinição de contornos.

Esse resultado imediato das microesferas de policaprolactona é acompanhado por um efeito posterior de bioestimulação da produção de colágeno, que é chamado de “neocolagênese”. O colágeno é uma proteína presente naturalmente no nosso organismo e a maior parte da sua concentração está na nossa pele. Ela é responsável por conferir a estrutura à derme. Agora, com o Ellansé, ganhamos mais uma possibilidade de não apenas disfarçar os sinais do envelhecimento já existentes, mas também de retardar o aparecimento de novas marcas.

Como qualquer outro tratamento estético, não existe uma idade mínima para a aplicação do Ellansé. Na verdade, isso vai depender do desejo de cada pessoa e da avaliação feita pelo médico.

Uma das maiores vantagens do Ellansé em relação às técnicas de preenchimento já existentes é seu tempo de duração. Estão disponíveis diferentes versões que oferecem resultados por 1 ano (Ellansé-S), 2 anos (Ellansé-M), 3 anos (Ellansé-L) e 4 anos (Ellansé-E)

Dessa forma, pessoas que tenham alguma dúvida sobre como vão se sentir após o tratamento podem aplicar o Ellansé-S, enquanto aquelas que buscam um resultado mais duradouro tem à sua disposição o Ellansé-4, que dura até 4 anos.

O preenchimento com ácido hialurônico, que é a técnica mais comum utilizada hoje em dia, tem uma duração média de 2 anos, de modo que ele pode exigir mais retoques e novas aplicações do que o Ellansé.

Contraindicações do Ellansé

Por ser um procedimento simples e pouco invasivo, as contraindicações do Ellansé se referem às áreas que não devem ser tratadas (lábios, glabela e pálpebras) e a condições de saúde que também inviabilizam outros tratamentos estéticos. Entre elas, estão as alergias graves, sensibilidades a qualquer componente da fórmula do produto, tendência à formação de queloides e cicatrizes hipertróficas, diabetes não controlada, doenças autoimunes, infecções, gravidez e aleitamento. Vale lembrar que, mesmo não sendo um procedimento invasivo, o sucesso deste tratamento depende que o profissional tenha profundos conhecimentos de anatomia facial. Por isso, ele deve ser feito somente por médicos treinados. O que você achou dessa novidade?

Dra ALESSYA XAVIER

CIRURGIÃ, PÓS GRADUADA EM ESTÉTICA E NUTROLOGIA