Flamengo sai atrás, vira e tem a vantagem na semifinal da Sul-Americana

Juan e Felipe Vizeu marcam na vitória no Maracanã. Jogo da volta será próxima quinta-feira

Fácil, nunca é. Mas hoje foi com requintes de drama em níveis tarja preta. O Flamengo precisou se reinventar em campo, superar dramas, quedas, ameaças de nocaute e se reeguer para sair do Maracanã com a vitória na primeira partida da semifinal da Copa Conmebol Sul-Americana.

Flamengo sai atrás, vira e tem a vantagem na semifinal da Sul-Americana (Divulgação/ Flamengo)
Flamengo sai atrás, vira e tem a vantagem na semifinal da Sul-Americana (Divulgação/ Flamengo)

O adversário, o perigoso Junior Barranquilla, achou um gol no primeiro tempo, viu o goleiro Diego Alves sair machucado e pensou que poderia mesmo sair do Rio com a vantagem no confronto. Mas a tradição rubro-negra mais uma vez falou mais alto. Com dois gols de jogadores criados na base da Gávea, Juan e Felipe Vizeu, o Flamengo virou o jogo e agora sai na frente, podendo empatar na partida de volta, em Barraquilla, na próxima quinta (30).

No começo, a partida seguia equilibrada, com os dois times se estudando e procurando a melhor oportunidade. Quem teve a primeira boa chance foi o Mais Querido. Mancuello recebeu de Trauco pela esquerda e soltou a bomba, mas a bola bateu na rede pelo lado de fora, arrancando alguns gritos de gol no Maracanã.

Mas, aos 16, o primeiro revés. Yony González entrou cara a cara com Diego Alves e se chocou violentamente com o goleiro. O camisa 24 foi atendido no campo, mas nao aguentou as dores e saiu para a entrada de Muralha. Apenas um minuto depois, o segundo revés. Gutiérrez desceu pela esquerda e cruzou para Teo Gutiérrez no meio da área, que fez o gol colombiano.

O Flamengo não sentiu o golpe e foi para cima, buscando o empate, priorizando cruzamentos na área, com perigo. Aos 36, Diego fez boa jogada e cruzou para Everton Ribeiro, que mandou de cabeça por cima do gol. O time não saía do campo de ataque, mas encontrava dificuldade para furar o muro colombiano à frente do gol, e a primeira etapa acabou em vantagem para o Junior.

O segundo tempo começou animado. Logo no primeiro minuto, Pará cruzou da direita e achou Diego livre, mas o camisa 10 cabeceou para fora. Rueda colocou Vinicius Junior no lugar de Mancuello, para dar mais velocidade à equipe. Aos 22, a melhor chance até então. Após escanteio, Réver subiu mais alto que toda a zaga colombiana e cabeceou forte para grande defesa do goleiro Viera.

De tanto apertar, saiu. Em cobrança de escanteio, Juan apareceu e cabeceou um míssil indefensável, empatando o jogo. Foi o 33º gol do craque com a camisa do Flamengo, o colocando como maior zagueiro artilheiro da história, ao lado de Junior Baiano.

Depois do empate, o Rubro-Negro continuou em cima, buscando a virada. E ela veio. Com um golaço daqueles de sair do estádio, pagar outro ingresso e voltar. Trauco cruzou, Arão ajeitou e Vizeu encheu o pé, de primeira, no ângulo, para explodir o Maracanã.

O Junior Barranquilla tentou desesperadamente se lançar ao ataque, mas o Flamengo controlava a partida e quase ampliou, com Vinicius Junior, perto do apagar das luzes. O árbitro ainda ajudou ao terminar o jogo em cobrança de escanteio para o Mengão, mas o resultado, com o apoio da torcida e na raça, mais uma vez, estava garantido.

Mais lidas nesse momento