Gabriel Jesus admite que temeu por ida à Copa quando machucou joelho

O incidente aconteceu no último dia do ano passado, durante jogo do Manchester City contra o Crystal Palace

Na fase final de recuperação de lesão no ligamento colateral médio do joelho esquerdo, Gabriel Jesus admite que temeu ficar fora de campo quando se machucou. O incidente aconteceu no último dia do ano passado, durante jogo do Manchester City contra o Crystal Palace.

Gabriel sai chorando de campo após se machucar em partida no City ainda em dezembro de 2017 (Foto: Divulgação)
Gabriel sai chorando de campo após se machucar em partida no City ainda em dezembro de 2017 (Foto: Divulgação)

"Aquele momento foi complicado porque já pensei em seleção, no restante da temporada, em tudo. Também pensei como ia ficar o clima em casa, porque minha família toda estava aqui. O clima foi bem complicado, mas minha família me deu muito apoio. Logo passou", disse Jesus, em entrevista à "TV Globo".

Apesar de já estar em fase adiantada de recuperação, Jesus ainda não se considera garantido na Copa do Mundo de 2018. Tite fará a convocação para os dois últimos amistosos antes do Mundial no dia 2 de março.

"Eu sempre disse que vou fazer por merecer, vou treinar muito, tentar ajudar meus companheiros aqui no City. Quando tiver oportunidade, agora nos últimos amistosos, se for convocado, fazer o melhor possível para merecer estar junto", declarou o centroavante.

"Estou pensando muitas coisas, muitas maneiras para que eu possa me preparar o melhor possível para que eu chegue melhor. Se o Tite me der essa oportunidade, vou fazer por merecer, trabalhar bastante para chegar lá melhor fisicamente, melhor tecnicamente e o melhor possível", declarou.

O brasileiro do City afirma que já voltou a ter contato com a bola e que espera ter condições de treinar com seus companheiros de time em cerca de uma semana.

"Já estou batendo um pouquinho na bola. Estava com muita saudade. Ainda estou com um pouco de medo, mas acho quem vai passando aos poucos. Em uma semana batendo na bola acho que vou perdendo o medo e posso treinar com o grupo", afirmou.

Na sexta-feira (9), Pep Guardiola, técnico do City, disse que esperava o retorno do Jesus aos campos em no máximo duas semanas.

Mais lidas nesse momento