O novo CNJ

Já não é nenhuma surpresa que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ)tenha deixado de ser um órgão que faz o controle externo do Judiciário, exclusivamente dentro dos padrões de tecnicidade e juridicidade almejados. Seguindo o exemplo do Supremo Tribunal Federal, talvez pela inspiração dos presidentes advindos daquela Corte, o CNJ passou atuar e decidir também na esfera política, e suas decisões, se não são estapafúrdias, pelo menos ferem a normalidade ou legalidade que o órgão máximo da Justiça brasileira deveria apresentar.

Leia mais na coluna do Jornalista Arimatéia Azevedo

Mais lidas nesse momento