Plano de contingência reduz queimadas e incêndios

O calor intenso, a baixa umidade do ar e as altas temperaturas dos meses mais quentes do ano são fatores que fazem aumentar a incidência de queimadas e incêndios florestais em todo o Piauí.

O calor intenso, a baixa umidade do ar e as altas temperaturas dos meses mais quentes do ano são fatores que fazem aumentar a incidência de queimadas e incêndios florestais em todo o Piauí.

Plano de contingência reduz queimadas e incêndios na região de Picos (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)
Plano de contingência reduz queimadas e incêndios na região de Picos (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

No último ano, a cidade de Picos sofreu com incêndios que destruíram animais e uma extensa faixa de vegetação na zona rural. Para evitar que a situação se repetisse, este ano o Corpo de Bombeiros elaborou um plano de contingência visando a prevenção e o controle mais rápido e eficiente de qualquer ocorrência de fogo.

O resultado, até o momento, é satisfatório e fez com que os casos caíssem pela metade quando comparados aos números registrados de setembro a janeiro de 2016.

“Picos, hoje, de todo o Piauí, é a região que está mais amena com relação a fogo. Nós fizemos um plano de contingência em maio, e esse plano vem dando certo em números e situações” informa a capitã Ana Cléia Diniz, comandante do Corpo de Bombeiros de Picos.

O plano envolve a comunidade, prefeituras, autoridades, órgãos do meio ambiente, defesa civil, exército, entre outros. Paralelamente, o Corpo de Bombeiros também está promovendo a educação ambiental através de palestras educativas sobre as queimadas.

O resultado é diminuição dos casos de incêndios e queimadas. Conforme os números, de janeiro a setembro de 2016, foram 405 focos de incêndios, muitos deles de grandes proporções. Em 2017, no mesmo intervalo de tempo, o número caiu para 230 casos. “Para o ano, quero diminuir mais ainda esses casos. Vamos juntos participar desse plano de contingência, vamos plantar mais árvores, vamos cativar mais o meio ambiente. Vamos cuidar mais, parar de jogar lixo em terreno baldio”, conclama a capita Ana Cleia.

Santana do Piauí

Mas enquanto os picoenses vivem dias de tranquilidade, em Santana do Piauí, município vizinho a Picos, a situação é delicada. Um incêndio florestal segue dizimando a vegetação nativa do município há mais de vinte dias.

Segundo populares, o fogo começou nas imediações do Povoado Serra da Baixa Verde e já se espalhou por quilômetros, atingindo diversas propriedades da zona rural.

O município de Santana do Piauí não aderiu ao plano de contingência elaborado pelo Corpo de Bombeiros de Picos.