'Assegurar água é assegurar dignidade', diz Temer na abertura do Fórum Mundial da Água

Encontro acontece a cada três anos e é considerado o principal evento para discutir o uso de recursos hídricos no planeta. Brasil recebe o fórum pela primeira vez

O presidente Michel Temer discursou na manhã desta segunda-feira (19) na sessão de abertura do 8º Fórum Mundial da Água, no Palácio Itamaraty, em Brasília. "Assegurar água é assegurar dignidade. Esse é o propósito que naturalmente nos reúne em Brasília", afirmou o presidente na abertura do fórum.

Temer na abertura do Fórum Mundial da Água (Foto: Reprodução/NBR)
Temer na abertura do Fórum Mundial da Água (Foto: Reprodução/NBR)

Considerado o principal encontro para discutir o uso de recursos hídricos no planeta, o fórum ocorre pela primeira vez no Hemisfério Sul. O fórum teve início no domingo (18) e a previsão é de cerca de 40 mil pessoas passem por Brasília até sexta-feira (23).

"Se nos fecharmos em nós mesmos, se atuarmos de forma desarticulada, todos pagaremos um preço. As soluções que buscamos são sempre coletivas", disse Michel Temer sobre a importância do encontro.

No discurso, Temer afirmou, ainda, que o governo trabalha em um projeto de lei cujo objetivo é “modernizar” o marco regulatório do saneamento básico. O presidente não detalhou a proposta nem informou quando pretende enviá-la ao Congresso Nacional.

“Nossa atenção volta-se com muita naturalidade para o saneamento, em que tanto ainda resta por fazer. Nós estamos ultimando projeto de lei com vistas a modernizar nosso marco regulatório de saneamento e incentivar novos investimentos, o que nos move naturalmente na universalização desse serviço básico”, disse Temer.

Temer listou medidas adotadas por sua administração em defesa do meio ambiente, como a intenção de criar duas unidades de conservação marinha, nos arquipélagos de São Pedro e São Paulo (PE) e de Trindade e Martim Vaz (ES).

O presidente declarou que o país saiu da recessão econômica sem deixar de lado a preocupação com a sustentabilidade.

“Em momento algum, admitimos a hipótese de um crescimento a qualquer custo, retomamos o crescimento, voltamos a gerar emprego e renda sempre com os olhos postos na sustentabilidade”, frisou.

Na cerimônia no Itamaraty, cede do Ministério das Relações Exteriores (MRE), participam, além de Temer, chefes de estado e de governo.

O presidente recebeu pessoalmente os chefes das delegações de países, entre os quais, Senegal, Cabo Verde, Hungria, São Tomé e Príncipe, Japão, Coreia do Sul, Marrocos, Mônaco, Guiné Equatorial e Eslovênia. A diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay, foi recebida por Temer.

Após a sessão de abertura, está prevista uma foto oficial dos chefes de delegações e um almoço oferecido por Temer no Itamaraty.

Audiências de Temer

A agenda do presidente Michel Temer reserva para a tarde uma série de audiências com chefes de governo e estado, entre os quais, o primeiro-ministro da Coreia do Sul, Nak-Yon Lee.

Audiências de Temer nesta segunda

- Presidente de São Tomé e Príncipe, Evaristo do Espírito Santo Carvalho
- Primeiro-ministro da Coreia do Sul, Nak-Yon Lee
- Presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos de Almeida Fonseca
- Primeiro-ministro do Marrocos, Saad Dine El Otomani
- Presidente da Hungria, János Áder

Temer também terá uma audiência com o príncipe herdeiro do Japão, Naruhito, que veio a Brasília para participar do Fórum Mundial da Água. Filho do imperador Akihito, ele tem previsão de assumir o trono em abril 2019, já que o pai decidiu abdicar. Akihito está com 84 anos e ocupa o trono desde 1989.

Já na terça-feira (20) Temer tem a previsão de um encontro com o presidente na Colômbia, Juan Manuel Santos, no Palácio do Planalto.

O fórum

Brasília recebe a oitava edição do Fórum Mundial da Água, realizado a cada 3 anos em um país diferente. A primeira edição ocorreu em 1997, em Marrakesh, no Marrocos, e a última em 2015, em Daegu, na Coreia do Sul.

O encontro deste ano traz o tema "Compartilhando Água". O objetivo, conforme organizadores, é estabelecer compromissos políticos e incentivar o uso racional, a conservação, a proteção, o planejamento e a gestão da água em todos os setores da sociedade.

Conforme a organização, o Fórum reúne representantes de mais de 170 países, entre cientistas, governantes, parlamentares, juízes, pesquisadores e demais cidadãos.